Alívio para os Estados: CAE aprova projeto de Serra para renegociar dívidas com a União

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou, nesta terça-feira (4), projeto do senador José Serra (PSDB-SP) para auxiliar os Estados na renegociação das suas dívidas com a União. A matéria, que foi relatada pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), deve ser votada em Plenário na próxima semana.

PLS 163/2018 — complementar  estabelece um prazo adicional para que os estados promovam planos de ajuste fiscal necessários para cumprir o teto de gastos. O texto também reabre prazo de adesão para Bahia e Distrito Federal, que haviam judicializado a renegociação das suas dívidas com o governo federal.

A proposta ainda regulamenta a organização e o funcionamento do Conselho de Gestão Fiscal (CGF). O órgão vai contribuir para monitorar as despesas dos estados, além de promover de debates e divulgar análises, estatísticas fiscais, estudos e diagnósticos. A reabertura de prazo para DF e Bahia e a regulamentação do CGF constavam de outros dois projetos de Serra e foram incluídos no mesmo texto pelo relator.

O senador José Serra explica que, em 2016, os estados renegociaram dívidas pelo plano de auxílio criado pela Lei Complementar 156. “O governo exigiu uma contrapartida de um teto de gastos para impedir o aumento das despesas correntes. Dezoito estados assinaram o acordo, Bahia e Distrito Federal judicializaram, e os demais não tiveram interesse”, contextualiza o senador paulista.

Dos entes federados que assinaram o acordo, 14 irão descumprir o teto exigido pelo governo. E o pior: quem descumpre tem que devolver recursos renegociados ao Tesouro.

Por isso, a proposta inicial de Serra retirava os títulos precatórios do cálculo do teto dos governos estaduais. “Única e exclusivamente para aliviar a situação dos estados”, destacou José Serra.

Após negociação com o governo, no entanto, o relator manteve os precatórios no cômputo do cálculo. Otto Alencar ainda incluiu item que dispensa os estados que não cumprirem o teto de gastos de devolverem os recursos renegociados em 2016.

Veja Também

Folha: Serra afirma que fará o possível para ajudar um eventual governo Temer

Folha de S. Paulo 07/12/2015 Considerado uma figura estratégica na articulação para consolidar, entre os partidos de oposição, uma base de apoio a um eventual governo Michel Temer (PMDB), o…

Uma jabuticaba podre

Senado tende a rejeitar a PEC que reforça o que há de mais nefasto no sistema proporcional. José Serra, O Estado de S.Paulo 09 de setembro de 2021 | 03h00…

Ajuste fiscal: quantidade e qualidade

Ajuste fiscal: quantidade e qualidade Felizmente, começa a ser levado em conta o enfoque qualitativo dos gastos e da tributação *JOSÉ SERRA – O Estado de S.Paulo 26 de julho…