Emenda que prevê transparência nas operações do BNDES segue para sanção presidencial

Brasília – A emenda à Medida Provisória 663/2014 que prevê mais transparência nas operações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), foi aprovada nesta terça-feira (19/05) pelo plenário do Senado. O dispositivo, que segue agora para a sanção presidencial, obriga o Ministério da Fazenda a divulgar, a cada dois meses, pela internet, os custos dos financiamentos concedidos pelo banco nas áreas privada e pública.

“O que nós, senadores, esperamos é que a presidente Dilma Rousseff não vete a Medida Provisória, como já fez em outras oportunidades”, afirma José Serra. De acordo com o senador, falta uma política clara de prestação de contas periódica por parte do banco à sociedade.

Caso seja sancionada pela presidente da República, a MP 663/2014 aumentará em R$ 50 bilhões o limite de incentivos financeiros repassados pela União ao BNDES.

Veja Também

Artigo no Estadão: “Soluções fáceis e erradas”

Acabar simplesmente com os subsídios é mais uma crença equivocada no tudo ou nada O Estado de S.Paulo 09 Agosto 2018 O momento, todos sabem, é de austeridade. Cada centavo…

As tentações do azar

O Estado de S.Paulo 14 de março de 2019  Não obstante seus seguidos revezes ao longo do tempo, os defensores da “legalização” do jogo têm redobrado a ofensiva para trazer…

Congresso derruba veto ao projeto que eleva a 75 anos aposentadoria compulsória no serviço público

Agência Senado Brasília – Os servidores públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios poderão trabalhar até os 75 anos antes de serem obrigados a se aposentar….